Ir para o conteúdo

MidiaNews

A secretária de Saúde de Cuiabá, Ozenira Félix, subiu o tom de crítica a quem tem desrespeitado as medidas de biossegurança necessárias para a prevenção da Covid-19. E fez um alerta para o risco de saturação do sistema, com superlotação das unidades de saúde.

 

Até ontem (13), Cuiabá já havia registrado 43.441 casos confirmados de residentes com Covid-19, além de 8.124 de outras cidades (que foram atendidos na Capital). Destes, 1.239 residentes e 484 pacientes de outras cidades morreram por conta da doença.

 

Segundo a secretária, o aumento no número de casos é reflexo do comportamento da sociedade, com festas e aglomerações no final de ano e viagens de férias. De acordo com ela, o Município tem tentado organizar o sistema de atendimento, mas está sendo difícil com o aumento da procura.

 

“A população precisa entender que nesse momento nós precisamos que as pessoas saiam apenas para aquilo que é necessário. Só o necessário. Não podemos mais ter essa questão de festa, essa questão de ‘vou ali’ para aquilo que você não precisa”, disse.

 

“Você precisa trabalhar, vai sem aglomeração. Se a gente não tiver essa consciência, nós vamos perder muito mais pessoas, tanto que agora tivemos de novo uma subida de mortes”, afirmou.

 

A secretária ainda afirmou que a responsabilidade para evitar a proliferação do vírus e um consequente colapso do sistema de saúde é de toda a população, não apenas do poder público.

 

Ela afirmou que não adianta o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) baixar decretos mandando todos ficarem em casa se a população continuar tentando burlar as determinações.

 

“Cada pessoa tem que saber a sua responsabilidade. No início, o prefeito Emanuel Pinheiro editou decretos, criou todas aquelas exceções porque a gente precisava organizar a rede. Hoje, a gente tem a rede organizada, temos leitos, estamos nos preparando para a vacina, mas, neste momento, a responsabilidade tem que ser da população”, afirmou.

 

Atendimentos prejudicados

 

No início da semana, a Prefeitura de Cuiabá divulgou que o Hospital Referência à Covid-19 (antigo Pronto Socorro) já estava com taxa de ocupação de 55% na ala adulta e de 33,3% na ala infantil. Já no Hospital São Benedito, a taxa de ocupação registrada era de 45%.

 

De acordo com a secretária, as unidades de saúde possuem outras patologias para serem atendidas e o atendimento já está prejudicado, uma vez que processos eletivos foram suspensos durante a pandemia, o que acaba por gerar demandas urgentes.

 

“Nós temos gente sofrendo, gente precisando de cirurgia, de acompanhamento, mas nós temos os profissionais todos correndo atrás de Covid”, argumentou.

 

Ela ressaltou, ainda, que a situação dos leitos no interior já está saturada e, com isso, Cuiabá tem recebido muitos pacientes de outros municípios e até mesmo de outros estados.

 

“Não é possível funcionar com superlotação e, caso a população não faça sua parte, logo nosso sistema estará saturado também”, alertou.

Deixe seu Comentário

Você precisa logarlogin para publicar um comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.