Ir para o conteúdo

O Ministério Público Eleitoral opinou pela confirmação da decisão liminar expedida pela Justiça Eleitoral que reconhece a filiação da atriz pornô Esther Caroline, conhecida como Tigresa Vip, ao PT (Partido dos Trabalhadores).

No documento, o promotor Henrique Schneider Neto, da Promotoria de Justiça da Comarca de Santo Antônio de Leverger, salientou que o cancelamento da filiação de Tigresa ao PT se deu “de modo arbitrário, sem minimamente possibilitar o contraditório e a ampla defesa, além de não demonstrar fundada razão na negativa”.

“Assevera-se ser notório que o cancelamento da filiação da requerente ao Partido dos Trabalhadores (PT) deu-se de modo arbitrário, sem minimamente possibilitar o contraditório e a ampla defesa, além de não demonstrar fundada razão na negativa”, diz um dos trechos.

A atriz pornô entrou com a ação após o partido barrar sua filiação por suposto vício no processo. Ela alega que realizou sua filiação ao Partido dos Trabalhadores, através do site do partido, no dia 30 de março deste ano. Ela teve a filiação barrada tanto pelo diretório estadual, quanto pela Executiva Nacional do PT, logo após ter sido lançada como um dos nomes a disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Vieram à tona, ainda, áudios de Whatsapp em que a deputada federal Rosa Neide pedia a intervenção da deputada federal Gleisi Hoffman (PT) alegando que a filiação da atriz pornô geraria constrangimento ao partido.

O caso aguarda julgamento do mérito.

Deixe seu Comentário

Você precisa logarlogin para publicar um comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.