Ir para o conteúdo

VIVIANE MOURA

REPÓRTER MT

O engenheiro civil de Rondonópolis(212 km de Cuiabá), Renan Araújo Gomes, foi identificado com um dos membros da quadrilha de tráfico internacional de mulheres, que foi tema de reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, na noite desse domingo(2).

Ele chegou a ser preso pela Polícia Federal no dia 27 de abril quando foi deflagrada nova etapa da Operação “Harem BR”, sob a acusação de aliciar mulheres que foram enviadas para diversos países com a finalidade de se prostituir. No entanto, no dia 30, o desembargador Paulo Fontes, do Tribunal Federal Regional da 3ª Região, de Sorocaba (SP) determinou a soltura.

Na ocasião foram cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão em Rondonópolis (MT), São Paulo (SP), Goiânia (GO), Foz do Iguaçu (PR), Venâncio Aires(RS) e Lauro de Freitas (BA).

A quadrilha com ramificação em Mato Grosso e outros cinco estados é acusada de explorar mais de 100 brasileiras no exterior.

Na lista de investigados aparece o nome da modelo e atriz Núbia Oliver, que supostamente recrutava garotas usadas em trabalhos sexuais fora do país.

As vítimas eram selecionadas via internet e presencialmente por meio das ‘agências’ aliciadoras. Dentre as vítimas está a funkeira Mc Mirella, que aos 17 anos, foi aliciada. Os cachês variavam de R$ 2 mil a R$ 50 mil.

Operação “Harem BR”

Os indícios de exploração sexual foram descobertos há quase dois anos, quando foi desarticulada uma quadrilha que clonava cartões de crédito. Os estelionatários usaram os cartões para comprar passagens aéreas que levaram duas brasileiras exploradas sexualmente em Doha/Catar.

Deixe seu Comentário

Você precisa logarlogin para publicar um comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.