Ir para o conteúdo

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT), médico sanitarista que acompanha de perto os números da covid-19 no país, com foco no estado, disse que “ainda não vê sinais de que o país possa enfrentar uma terceira onda” da doença  a partir de março do ano que vem, como preveem alguns estudiosos.

O temor esta lidado as aglomerações comuns dos festejos de fim de ano que devem aumentar após dois anos de restrições.

“É difícil fazer essa avaliação. A Covid vai se transformar em uma endemia, uma doença que vamos conviver e eu espero que, a cada ano, com menos gravidade em razão do avanço das vacinas e da ciência”, avaliou.

“Não há sinal de que isso (3ª onda) vá acontecer. Mas claro que isso vai depender da programação que o Brasil fará para aplicação da dose de reforço ou para revacinar a população e a coincidência disso com o período de festas do final do ano. Talvez seja em decorrência disso a preocupação dos cientistas com uma nova onda”, completou.

Deixe seu Comentário

Você precisa logarlogin para publicar um comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.